Cortes na Educação por Dilma e Temer foram maiores que de Bolsonaro

Não é a primeira vez que ocorrem reduções no setor da Educação. Em 2015, houve o maior corte da história de 9,4 bilhões no segundo mandato da ex-presidente Dilma Rousseff.

Com Michel Temer não foi diferente, e agora com Bolsonaro, no valor aproximado de 5,8 bilhões.

O Ministro da Educação, Abraham Weintraub, explicou na Câmara dos deputados que “a redução de verbas no setor, foram aplicadas sobre gastos não obrigatórios, como: água, luz, obras, e compras de novos equipamentos, mas não afetou despesas como salários de professores ativos ou inativos, ou assistência estudantil.”

No entanto, segundo Instituições Federais de Ensino superior (Andifes), o sistema federal registra grandes perdas por meio dos contingenciamentos nos últimos 5 anos.

Com isso, as Universidades passarão em breve a não ter mais meios de realizar novas licitações ou mesmo para pagar por diversos serviços.

O governo Bolsonaro também fez cortes no Ministério da Defesa em 5,1 bilhões, da infraestrutura 4,3 bilhões e Minas e Energia 3,7 bilhões. E na educação a tesourada maior de 5,8 bilhões.

O ministro da Educação disse que “não há corte, há contingenciamento, assim que o país melhorar, esse valor pode ser novamente designado para essa área.”

Mais de 1 milhão e meio de pessoas, protestaram contra os cortes feitos pelo governo, em mais de 230 cidades. Fato que não ocorreu contra os cortes realizados pelos governos anteriores.

Em resposta, lá nos Estados Unidos, Bolsonaro chamou os protestantes de “idiotas inúteis, e massa de manobra na mão de uma minoria espertalhona”.

“Há muitos alunos que lá protestam e não sabem nem a fórmula da água”, completou.


Chadia Kobeissi

Jornalista formada no Líbano, em Beirute, com diploma revalidado pela USP e especialização em Civilização Árabe-Islâmica. Trabalhou como Correspondente Internacional para a Rfi, "Rádio França Internacional", que transmite também para a CBN do Brasil. Fundadora da Gazeta de Beirute, e autora do livro Estado Anti-Islâmico. Teve experiências incríveis em seus 8 anos de Oriente Médio, entendendo e desmistificando para o Ocidente, este outro lado do mundo.