No UFC 237 do Rio, cinturão Peso Palha fica no Brasil, após vitória contra americana

A vitória foi em grande estilo no segundo round, quando a brasileira levantou a americana e a jogou no chão. “Quando levantei a americana, parecia uma pluma”, enfatizou a brasileira.

Uma forma que a caracterizou com o apelido de ‘bate-estaca’. Agora o Brasil tem duas campeãs, porque Amanda Nunes detém o cinturão Peso Galo.

A noite foi de gala, porque Jéssica ainda ganhou como Melhor Luta da Noite e Melhor golpe da noite, faturando um prêmio extra em torno de R$ 400 mil.

Veja o momento do nocaute;

A brasileira Jéssica Bate-Estaca é a nova campeã mundial do UFC categoria peso Palha. Ela venceu por nocaute, ao seu grande estilo, a americana Rose Namajunas, no Centro Olímpico, no Rio de Janeiro pelo UFC 237.

A americana caiu de forma desajeitada, comprimindo as costas e batendo a cabeça. Já estava apagada. Jéssica ainda deu dois socos na adversária, mas logo foi separada pelo árbitro que deu cabo à luta. Ela apagou e, em princípio, assustou a todos perto do Octogonon. Depois ela se recuperou aos poucos e abraçou a nova campeã.

COMEÇO PERIGOSO
O curioso é que no primeiro round a americana foi bem mais efetiva, mantendo a distância para aproveitar sua maior envergadura e sendo precisa nos golpes.Jéssica chegou a levantar a americana, mas na queda quase que a campeã aplicou uma chave de braço na brasileira.


AMERICANA DEU SUSTO

A superioridade americana foi evidente, tanto que abriu o olho esquerdo de Jéssica. Além de aplicar uma queda em Jéssica após uma joelhada. Mas no intervalo, Jéssica garantiu que não tinha sentido os golpes e prometeu voltar com tudo para o segundo round.

Jéssica partiu para cima, mesmo ficando sujeita aos perigosos golpes da americana. Até que ela conseguiu , de novo, levantar a americana nas costas e atirá-la ao chão. Foi fatal.

ROSA PRA ROSE

As pesagens do UFC costumam ser cheias de caras fechadas e provocações. Mas a brasileira Jéssica ‘Bate-Estaca’ Andrade quebrou o estereótipo na sexta , véspera do UFC . A desafiante ao cinturão do peso palha, ela presenteou a atual campeã Rose Namajunas, com uma rosa.

Uma rosa para a campeã na pesagem

No inicio a americana ficou séria no início, mas, depois abriu o sorriso e abraçou a brasileira. No Rio, ela defendia o cinturão pela segunda vez. A primeira aconteceu em abriu do ano passado, quando encarou a revanche contra a ex-campeã Joanna Jedrzejczyk.

CINTURÃO AO TÉCNICO
Após a luta, o choro foi inevitável. Mas ao receber o cinturão e fazer os agradecimentos de praxe, ela fez questão de entregar o cinturão ao técnico Giulliard Paraná, com quem ela treina há 10 anos.

A baixinha e forte, de 27 anos, foi a primeira brasileira a entrar no UFC. Ela também a a brasileira com maior número de vitórias no MMA. Ela usa um cocar de índio ao entrar nas suas lutas, por ser descendente de índios ‘com muito orgulho’ segundo ela.

É também a primeira campeã que preferiu treinar no Brasil ao invés das bem preparadas academias americanas, uma vez que o s Estados Unidos são o coração do MMA.

EX SAO EX MESMO…
É bom mesmo que a nova geração do MMA brasileiro comece a reagir, porque exceto a vitória de Jéssica na luta principal da noite, os demais brasileiros do Card Principal foram derrotados, inclusive, os ex-campeões Anderson Silva e José Aldo.

O lendário Anderson Silva perdeu após levar um chute no joelho direito, até de forma preocupante e dramática. E José Aldo, herói nacional, acabou perdendo por pontos. Thiago Pitbull (por pontos) e Bethe Correa (por nocaute) também foram derrotados,RESULTADOS OFICIAIS 
CARD PRINCIPAL

Jéssica Andrade venceu Rose Namajunas por nocaute aos 2m58s do 2º round;

Jared Cannonier venceu Anderson Silva por nocaute técnico aos 4m47s do 1º round;

Alex Volkanovski venceu José Aldo por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27);

Laureano Staropoli venceu Thiago Pitbull por decisão unânime (30-27, 30-27, 29-28);

Irene Aldana venceu Bethe Correia por finalização (chave de braço) aos 3m24s do 3º round.CARD PRELIMINAR 

Ryan Spann venceu Rogério Minotouro por nocaute aos 2m07s do 1º round;

Thiago Moisés venceu Kurt Holobaugh por decisão unânime (30-26, 30-26, 30-27);Warlley Alves venceu Serginho Moraes por nocaute aos 4m13s do 3º round;

Clay Guida venceu BJ Penn por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-27);

Luana Carolina venceu Priscila Cachoeira por decisão unânime (30-26, 30-26, 29-27);

Raoni Barcelos venceu Carlos Huachin por nocaute técnico aos 4m49s do 2º round;

Viviane Araújo venceu Talita Bernardo por nocaute aos 48s do 3º round.


Alessandro Belcorso

Formado em Jornalismo pelas FIAM(Faculdades Integradas Alcântara Machado) começou a carreira na Assessoria de Imprensa do Metrô(SP). Atuou nas rádios Bandeirantes e Nova Difusora; passou pela SporTV, TV Cidade e ConecTV; escreveu para o Jornal da Tarde; foi correspondente internacional do Diário da Região em 2005 e 2006 no Japão. Atuou como Assessor de Imprensa do Grêmio Esportivo Osasco(GEO) e como Diretor de Comunicação do Osasco Audax. Em 2018 foi eleito pela AMECOM(Associação Metropolitana de Comunicação) como o profissional de comunicação do ano da região metropolitana de São Paulo.