Por que será que estou sozinho ?

Atualmente muito se tem falado sobre suicídio nas redes sociais, parece até que a vida está assim por um fio como se de humanos, que pouco entendem de si mesmo, passássemos a deuses para ligar e desligar as luzes da vida ao bel momento de um desencontro. Será que tal comportamento vem da solidão do EU ?

Para refletir comigo sobre o assunto, permita-me o convite para debruçar-se comigo diante de Freud, no livro O Mal Estar da Civilização. Logo nas primeiras páginas, o pai da psicanálise, ressalva ser mais fácil para um  humano resistir às intempéries da natureza, às mazelas do envelhecimento, que ajustar-se a solidão.  Não ! Quero alguém que me chame de seu. Impossível viver sozinho com ressalva para algumas poucas criaturas, advindas sabe-se lá de que Planeta, que sem sofrimento ou angústia conseguem estar sozinhas. Aos demais, meros humanos moldados da costela de Adão, cabe o sofrimento, que pode ir ao extremos da insanidade ou até da morte.

Mas se dependemos tanto de outro parceiro, como então saímos botamos os poucos, que aparecem pela frente ? Novamente, vamos conversar com Freud, para entender este comportamento humano. Diz ele, que nascemos para o prazer, para o êxtase da vida  através do sexo. Ao nascermos é instalado em nossas células o código da PULSÃO afim de nos levar ao encontro do outro. E desta pulsão ninguém escapa: nem religiosos, nem ateus, nem jovens, nem velhos, nem tímidos, nem extrovertidos, nem pobres, nem ricos, nem os que vivem nas planícies ou nas montanhas. Todos, sairão fazendo o que for possível para estar no convívio com outros da mesma espécie. E se não o fizer e tentar esconder a pulsão o preço será uma angústia tão grande, que até o sono sai correndo do quarto em busca de outro lugar para se aquietar. Que preço, hein !

Ainda citando Freud, este ressalta que os lares, no período da infância, são os responsáveis pelos muitos problemas da fase adulta. Assim sendo, pais problemáticos levam filhos neuróticos a repetirem a cena: Exemplo, pai alcoólico, filhos com grande tendência ao álcool; mãe controladora, filhos ansiosos por dependência emocional.  Nascemos com a condição de olhar, sentir, gostar,  copiar e repetir. Então, dai um enorme problema para ajuste com os pares na fase adulta: Cite um lar onde há mais encontro, que desencontro, mais amor que dor ?! Ficou difícil, né ?

Além do problema da infância surge um outro fator cooperativo para a solidão dos dias atuais, a subida da mulher ao pódio da economia. Sim, aprenderam a dizer NÃO, NÃO ACEITO SEXO ASSIM, NÃO QUERO DESSA FORMA ! E então, os problemas começaram a aparecer. Os homens ainda tem dificuldade de lidar com esta criatura, que em meros cem anos, passou de dona do lar a administradora. Agora que complicou, como fica a masculina diante desta nova virada de  divisão do lar ? Complicado. 

Não fosse o bastante para manter os parceiros receosos outros fatores somaram-se aos dois acima citados para fazer bagunça na complexa teia dos relacionamentos, convergindo para momentos de sofrida solidão: mulheres caseiras, homens alcoólicos; mulheres religiosas, homens ateus; mulheres esportistas, homens sedentários; mulheres maduras, homens jovens; mulheres letradas, homens iletrados ou vice-versa em todos os sentidos.

Dói a solidão; dói saber que se tem tudo, mas falta algo; dói tanto,que até mata. Se mata a alma, depois o corpo.

Mas então, como saber se tem algo errado na sua vida, querido leitor ? Olhe-se de verdade. Vá ao espelho e dê aquela olhada para a energia do seu aspecto: Como está seu rosto, alegre ou triste ? Seu olhar, iluminado ou opaco ? Olheiras, presentes ou ausentes ? Rugas, de velhice ou de dor ? Boca, suspensa ou cabisbaixa ? Testa, traçada ou sem rasgos ? Cabelos, brilhantes ou embaçados ? Além disso e ainda parado diante do espelho, alongue seu olhar para o interior, a fim de captar se a resposta é um sentimento de paz ou uma agonia sem fim. Não fique parado… se for mais negativo que positivo, corra para um consultório afim de tratar-se, pois não há nada mais importante neste mundo que você.

E saiba, que quando você estiver bem,sua energia estará sendo sentida por todos ao redor e o resultado… É VOCÊ SER AMADO POR TODOS INFINITAMENTE !

Para saber mas sobre este assunto, dê um click no link abaixo:


Denilza Munhoz

Graduada em letras com inglês, poliglota, especialista em Metodologia do Ensino Superior, Psicanalista, hipnoterapeuta, Coach, Conferencista par grandes empresas internacionais. Viajante constante e presente em mais de 22 países onde esteve para aprender sobre o ser humano.