Tecnologia acessível é possível em sala de aula

De acordo com dados da Organização das Nações Unidas (ONU), quase 1 bilhão de pessoas no mundo possuem algum tipo de deficiência. No Brasil, a estimativa é de 45,6 milhões e deste número, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que 500 mil são cegos e mais de 5 milhões de pessoas têm alguma deficiência visual. Mas qual o caminho que ainda temos que percorrer para que na educação a tecnologia assistiva cresça e seja de fato uma realidade?  A educação inclusiva requer projetos educacionais de tecnologia desenvolvidos com comprometimento para que realmente se torne colaborativa.  Além disso, demanda de um excelente plano pedagógico e amplo modelo de capacitação para professores e gestores das instituições de ensino.

Em maio de 2018, a Microsoft investiu US$ 25 milhões em desenvolvimento de projetos de inteligência artificial para pessoas com deficiência. Empresas que investem em inovação e tecnologia inclusiva saem na frente e demonstram de fato a importância de construir para todos. Pensando no desenvolvimento do aluno a Microsoft desenvolveu várias ferramentas para promover a inclusão desses alunos que possuem alguma dificuldade de aprendizado, leitura ou para compreender alguma informação de maneira mais rápida. Confira algumas:

Os alunos que têm dificuldade de leitura podem ser beneficiar no modo avançado do Word, no qual é possível configurar para o programa focar o texto separando as sílabas, dando ênfase nos verbos, artigos, pronomes e etc. Nesse modo o programa também lê o texto de maneira pausada dando foco nas palavras que estão sendo lidas no momento, melhorando assim o foco da leitura do aluno e o entendimento das palavras.

Dentro dos programas do pacote office ainda existe uma ferramenta que facilita a escrita, esta ferramenta se trata do “ditado” onde uma pessoa com dificuldades motoras por exemplo, consegue criar textos de maneira facilitada, apenas ditando as palavras e o programa escrevendo, a ferramenta foi otimizada para reconhecimento de fala das pessoas, com diferenças tônicas nas palavras e suas respectivas pontuações.

Imagine um aluno que precisa ler um artigo em uma revista ou um jornal, mas possui dificuldade com leitura, seu entendimento ou desempenho na compreensão do texto, será prejudicada e ele não terá o mesmo aproveitamento que os alunos que não possuem tais dificuldades. A Microsoft pensando nisso criou o OfficeLens programa que reconhece imagens de textos de superfícies planas e os converte em pdf ou arquivo de texto já os salvando no Word ou OneNote, fazendo com que o aluno possa ter acesso as ferramentas de leitura de ambos os programas.

Para casos de conferências ao vivo em que estamos conversando pela internet com outra pessoa, o Skype oferece um sistema de tradução automática e otimizada para que possamos compreender o interlocutor.

Os benefícios e atrativos para escolas que pensam nos alunos em todas as suas formas, são vários, mas destacamos alguns que certamente contribuem para a formação e transformação de alunos, pais e educadores:

Autonomia – ferramentas digitais acessíveis são estimulantes e amigas da autonomia – Se sentir livre e apto para dominar um computador e ferramentas disponíveis, iguala alunos e professores;

Engajamento – A tecnologia assistiva amplia e facilita o acesso a informação, tira o aluno do isolamento e ele se sente parte do todo;

Experiência – Outro benefício da tecnologia assistiva consiste em proporcionar aos alunos a vivência real das atividades durante o aprendizado. A experiência permite maior assimilação e interação entre os alunos;

Diversidade – Escolas que atendem alunos independentemente da limitação, educam crianças mais preparadas para a vida e a convivência com a diversidade abre o olhar do alunos, pais e professores.

Por Vivian Manso, consultora de marketing da UP Education


Keyla Assunção

Jornalista formada há 19 anos, mas atua na área desde 1997. Possui agência de assessoria de imprensa e comunicação e escreve sobre inclusão. No portal VivaBem (UOL) é repórter de Alimentação.