Grupo baiano de luteria está na Espanha para intercâmbio

O grupo Som do Sisal, de Conceição do Coité, Bahia, está na Pita-Escuela del Rio Aguas, na cidade de Sorbas (Espanha), com o projeto “Conexão Semiárido – Do Sertão da Bahia ao deserto da Espanha: Intercâmbio de luteria na construção de instrumentos musicais com Agave”. A viagem tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Edital de Mobilidade Artística e Cultural 2019 do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia

Através de oficinas de luteria, os dois projetos aperfeiçoarão as técnicas peculiares de construção de instrumentos musicais com a madeira de Agave. Uma ação inovadora, de sustentabilidade e empreendedorismo na economia criativa com cooperação entre Bahia e Espanha. Luteria é um termo bastante antigo utilizado para designar a arte de construir instrumentos musicais. Foi a partir deste ponto de convergência que os dois projetos se encontraram.

Sisal: do México à Espanha

Segundo relato do fundador do projeto Som do Sisal, Josevaldo Nim, a descoberta foi uma grata surpresa, pois o grupo já esteve no México, em 2017, país onde o sisal é nativo e se espalhou para o resto do mundo, e não encontrou registros de instrumentos construídos com a madeira do sisal.  Depois de várias mensagens trocadas entre ele e Tim Bernhadt, fundador da Pita-Escuela, em dezembro de 2018, sempre com várias novidades a compartilhar, ambos estavam dispostos a se conhecerem de perto e compartilhar suas experiências.

A viagem de intercâmbio segue até 12 de junho, levando o grupo coiteense formado por cinco integrantes: Webson Santana, luthier responsável pela construção dos instrumentos do projeto, Welson Ricardo, assistente de luteria, Artur Ariston, artista responsável pela estética dos instrumentos e também assistente de luteria, Josevaldo Nim, coordenador do projeto.

As atividades acontecerão no centro de educação ambiental Pita-Escuela del Río Aguas, uma organização sem fins lucrativos que está localizada no Sítio Natural Karst em Yesos de Sorbas, no deserto de Almería (Espanha), a área mais árida da Europa. Trata-se de uma iniciativa voltada principalmente para crianças e jovens, proporcionando uma educação ambiental baseada na criação artística, na natureza, na vida sustentável e na música. O projeto já tem 25 anos e uma larga experiência com o Agave.

A programação do intercâmbio prevê um passeio ao campo para coleta adequada de madeira de Agave; uma abordagem da planta, a poda e seu cultivo, introdução à sua botânica; seu ciclo de vida, raízes, folhas, floração, truques de sobrevivência e adaptação a climas de zonas áridas, orientada pela equipe da Pita-Escuela; A realização de oficinas aperfeiçoamento das técnicas de construção de instrumentos; troca de experiências na construção com a madeira de Agave; Concertos musicais.

(Com informações da Secretaria de Cultura da Bahia)


JB Cardoso

Jornalista e escritor, nascido no Rio Grande do Sul e radicado na Bahia, escreve sobre quase todas as editorias, preferindo sempre contar histórias. Viciado em informação, faz dela um meio de vida. Casado com Thábatta Lorena e pai de Pilar.