Idosa reencontra família após 50 anos

O que são 50 anos? Para a Ciência, são duas gerações. E o que pode significar reencontrar uma família após 50 anos? Dona Otília pode responder esta pergunta. Mas ela só fará isto depois de saber de sua irmã o que aconteceu neste período, desde que perdeu o contato com familiares, em Pernambuco.

Otília Maria de Melo, 76 anos, era moradora de rua em Feira de Santana, BA, quando passou a receber atendimento da Prefeitura através do Programa Consultório de Rua e do Centro Pop, em parceria com o Ministério Público Estadual e Conselho do Idoso. O acompanhamento começou em 2015, e desde então a equipe de Saúde vinha tentando localizar a família da idosa.

Mas não foi fácil. Como apresentava alguns distúrbios mentais, Otília precisou ser internada no Hospital Especializado Lopes Rodrigues, onde recebeu atendimento psiquiátrico. Em outubro de 2018 ela foi encaminhada para um abrigo. Enquanto isto as buscas pelos parentes avançavam. “Estivemos sempre fazendo o trabalho integrado entre o Ministério Público na busca por documentos há mais de um ano. Ficamos muito felizes por promover esse reencontro”, explica a enfermeira coordenadora do programa Consultório de Rua, Darlene Santos.

Milton Diniz, sobrinho de Otília, conta que a tia desapareceu antes mesmo de ele nascer. “Os relatos dos meus tios e parentes são de que ela morava em Recife com um primo e depois de um tempo ela desapareceu. Fizeram a busca por ela e não tiveram êxito. Ninguém sabe ao certo o motivo”, afirma. Na última segunda-feira, 3, Otília viajou para o município de Carpina, em Pernambuco, para morar com sua irmã Maria José Diniz. “Estamos felizes de vê-la novamente, ela tem ficado emocionada e relata muitas lembranças de cada um de nós”, pontuou o sobrinho.

Agora a rotina de Otília é partilhar das histórias da família, das gerações que surgiram sem que ela estivesse presente e da vida difícil que viveu. Talvez, depois disso, ela possa falar o que representa reencontrar familiares após 50 anos.

(Com informações da Prefeitura de Feira de Santana – Foto: Milton Diniz)


JB Cardoso

Jornalista e escritor, nascido no Rio Grande do Sul e radicado na Bahia, escreve sobre quase todas as editorias, preferindo sempre contar histórias. Viciado em informação, faz dela um meio de vida. Casado com Thábatta Lorena e pai de Pilar.