Na semana em que o Brasil atingiu 90% da meta de vacinação contra gripe, entenda a importância das vacinas

Foto: RETS

No início desta semana o Ministério da Saúde divulgou que o Brasil atingiu 90% da meta de vacinação durante a campanha contra gripe em 2019.

Foram mais de 50 milhões de pessoas, daquelas que, fazem parte do grupo de prioridades que são: idosos, crianças, gestantes, povos indígenas, profissionais da saúde, professores, jovens sob medidas socioeducativas, funcionários do sistema prisional e profissionais das forças de segurança, foram vacinados contra o vírus de gripe que protege contra H1N1, H3N2 e dois tipos da influenza B, quando na rede particular e 1 tipo da B na rede pública.

Mas ainda existe muita gente no país que é contra as vacinas e deixam de vacinar os filhos por falta de informação, acesso, além medo de algumas possíveis reações, mas vale lembrar, vacina contra gripe não vai te deixar mais gripado, isso é FAKE.
A história das vacinas começam no século XVIII quando mais de 400 mil pessoas morriam por ano de varíola na Europa, até que Edward Jenner, naturalista e médico inglês desenvolveu a primeira vacina em larga escala no mundo.

A vacina contra varíola pode ser considerada como a primeira de sucesso no mundo, o último caso de varíola registrado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) foi em 1977. a doença é considerada erradicada.

Segundo a médica infectologista do Instinto Emílio Ribas, Dra. Rosana Richtmann, a primeira coisa importante sobre vacinas é entender que existem dois grande grupos, as atenuadas (vírus vivo enfraquecido) ou se é uma vacina morta (vírus morto). Vacinas produzidas com material morto “são extremamente seguras, com risco de reação colateral praticamente zero” fala a médica. Um exemplo é a vacina contra Hepatite A.

O outro tipo é vacina como um pedaço do micro-organismo vivo, “ele (o micro-organismo) é enfraquecido e você aplica para estimular seu sistema imune a produzir anticorpos.” Exemplo a vacina contra febre amarela. Este pode dar uma pequena reação até pouca mais de uma semana depois de se vacinar.

Em tempos de correntes pela internet, são muito comuns noticias falsas sobre todo o tipo, e a vacina é um dos alvos favoritos, a aposentada Maria Uzum de 63 anos, fala que ficou em dúvida sobre reações e eficacia de vacina contra gripe depois que recebeu informações pela internet. “Recebi pelo grupo no whatzapp um notícia que falava que vacina contra gripe te deixava mais gripado, ai depois vi muita gente que tomou e ficou doente doente”

A falta de acesso a informação segura faz crescer esse tipo de dúvida em relação as vacinas, mas como alerta a dra. Rosana o Brasil é um dos países com o melhor sistema da vacinação do mundo, as pessoas respondem bem as campanhas , a informação só precisa chegar até elas.

Uma estimativa feita pela Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e pela OMS (Organização Mundial da Saúde) divulgada pelo Fiocruz (Fundação Osvaldo Cruz) mostra que só a vacina contra sarampo salvou mais de 20 milhões de vidas nos último 19 anos, mas ainda cerca de 400 crianças morrem por dia da mesma doença, principalmente nos países da Africa.


Felipe Nascimento Cruz

Paulistano, com formação em jornalismo e publicidade. Um ex jogador de futebol que acredita que a comunicação pode mudar o mundo.