Crianças a partir de 6 meses já podem tomar a vacina contra o sarampo

Nova recomendação sobre a vacina contra o sarampo feita pela Prefeitura Municipal de São Paulo é que crianças a partir do 6 meses de idade já podem tomar a vacina Tríplice Viral que protege contra sarampo, caxumba e rubéola.

Pelo calendário da Sociedade Brasileira de Imunização (SBIm) essa vacina, também conhecido como MMR do inglês (Measles, Mumps e Rubella) era indicada a partir do primeiro ano de vida, mas devido ao surto da doença, já pode ser ministrada para esta faixa etária.

São Paulo é o estado com mais casos de sarampo no Brasil já são pelo menos 484 (atualizado julho 2019) confirmados pelo Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) em 2019. Pará e Rio de Janeiro também registraram muitos casos.

O que é o sarampo?

O sarampo é uma doença viral infectocontagiosa provocada por um morbilivirus e transmitida por secreções da pessoa que está doente, como espirro, tosse ou ao falar. Os primeiro sintomas são febre alta e manchas avermelhadas pelo corpo.

A campanha atual é focada em pessoas entre 15 e 29 anos de idade que não lembram ou não tomaram duas doses da vacina após o primeiro ano de vida, mas a nova recomendação é que todos devem ser vacinados, independente do seu histórico vacinal, para fazer uma espécie de cordão de isolamento contra o vírus. A doutora Rosana Richtmann, médica infectologista do Instituto Emilio Ribas, afirma que “vacina nunca é demais (…) e a única forma de controlarmos essa doença é aderindo à campanha”.

Vacina

A Tríplice Viral (SCR) é uma vacina atenuada (vírus vivo enfraquecido) do sarampo, da rubéola e da caxumba e contém traços da proteína do ovo na sua produção. Ela é contra-indiciada para gestantes, menores de 6 meses ou quem faz alguma terapia imunossupressora.

São necessárias pelo menos 2 doses dessa vacina após o primeiro ano de vida, segundo a doutora Rosana mesmo depois do 6 meses é preciso tomar os reforços “pois a resposta da vacina é melhor após 1 ano de idade”.


Felipe Nascimento Cruz

Paulistano, com formação em jornalismo e publicidade. Um ex jogador de futebol que acredita que a comunicação pode mudar o mundo.