Empoderamento feminino e resistência negra são temas de debate em escola baiana

As discussões sobre empoderamento feminino, resistência negra e educação para as relações étnico-raciais marcaram a sexta-feira (26) para os estudantes do Colégio Estadual Thales de Azevedo, localizado em Salvador. Durante o encontro ‘Fala, menina’ ocorreram apresentações musicais e de dança; declamação de poesias; e um debate envolvendo os estudantes do ‘Coletivo Crespo’, grupo que atua no combate do preconceito racial através da música e de rodas de conversa com jovens nas escolas.

 Realizada em parceria com as secretarias estaduais de Políticas para as Mulheres (SPM), de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) e da Educação, a iniciativa faz parte das comemorações do Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha, celebrado no dia 25 de julho.

Experiências

O ‘Fala, menina’ teve a participação especial da rapper, professora de História, poetisa e modelo plus size Oyce Fernandes, conhecida como Preta-Rara, que falou da experiência pessoal na luta contra o preconceito racial e da atuação em movimentos negros e feministas. “Vir pela primeira vez em uma escola pública de Salvador é uma experiência muito enriquecedora. Fui professora por seis anos e voltar como artista, rapper, historiadora, sendo mulher preta, me dá mais estímulo para incentivar estes jovens a ocuparem os seus lugares de fato e a serem protagonistas de suas próprias histórias”, relatou.

 Ex-estudante do Colégio Estadual Rômulo Almeida, Vanessa do Rosário, 19 anos, do Coletivo Crespo, declamou as poesias ‘Pai nosso’ e ‘Minha vivência’. “Comecei a escrever para externar as minhas dores e foi a partir das rimas que passei a me encontrar, a perder a timidez, a lutar contra o preconceito e a me valorizar enquanto mulher negra. E, hoje, dentro do coletivo ajudo a conscientizar outras mulheres”, afirmou.

Relevância

Na ocasião, o secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, destacou a importância das discussões com os estudantes. “É muito emocionante participar de uma agenda com os jovens, pois eles estão construindo um momento muito diferente na vida deste país, em uma conjuntura marcada pela insegurança no que diz respeito às políticas públicas, aos direitos do povo preto, dos indígenas, das mulheres e dos LGBTs”.

 A secretária de Políticas para as Mulheres, Julieta Palmeira, também comentou a relevância do projeto que, pela primeira vez, foi realizado em uma escola estadual. “Este é o quarto ano que a gente realiza o ‘Fala, menina’, que é um projeto voltado para a discussão com os jovens, meninas e meninos, sobre a questão da equidade de gênero e do combate à violência contra as mulheres”.

 Já a secretária de Promoção da Igualdade Racial, Fabya Reis, destacou a relevância de debates essas temáticas no mês em que se celebra o Dia da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha. “Discutir com os alunos a história do povo afrodescendente baiano traz a possibilidade de reconectar com a verdadeira história brasileira, desconstruindo, juntamente, preconceitos no combate ao crime de racismo”.

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado


JB Cardoso

Jornalista e escritor, nascido no Rio Grande do Sul e radicado na Bahia, escreve sobre quase todas as editorias, preferindo sempre contar histórias. Viciado em informação, faz dela um meio de vida. Casado com Thábatta Lorena e pai de Pilar e Cléo.