Rejuvenescimento íntimo sem dor

O procedimento é indicado para mulheres com queixa de flacidez vaginal, falta de lubrificação, sangramento e dor após relação sexual, entre outras.

 Mudanças hormonais, envelhecimento e gestações são algumas das situações que podem proporcionar alterações nos órgãos genitais e no trato urinário inferior. Tudo isso prejudica a qualidade de vida porque os tecidos tornam-se mais finos, sensíveis, frouxos e envelhecidos, trazendo um novo aspecto estético, de sensibilidade e função sexual. Para tratar isso já está disponível no mercado de estética corporal o rejuvenescimento íntimo sem dor, que é uma terapia moderna na qual é realizado um aquecimento controlado do tecido proporcionando um aumento da vascularização sanguínea, lubrificação vaginal, estímulo para formação de colágeno e elastina.

   Segundo a ginecologista Dra. Andrea Larissa Ribeiro, da Clínica +Jovem, o procedimento é indicado para as mulheres que se queixam de desconfortos, como: flacidez vaginal, falta de lubrificação/ressecamento vaginal, sangramento e dor após relação sexual, pequenas fissuras no intróito vaginal (entrada da vagina), infecções urinárias de repetição causadas pelas mudanças hormonais e envelhecimento, incontinência urinária leve (que não demandam cirurgias) e vaginismo. “Não há limite de idade para se submeter ao tratamento, desde que seja realizada uma criteriosa avaliação médica”, explica a especialista.

            Como ele é feito –  Antes do procedimento é aplicado um gel condutor (o mesmo utilizado em exames de ultrassonografia). Na sequência é utilizado um aparelho de criofrequência composto por ponteiras individuais e descartáveis para cada área, na qual são realizadas aplicações internas e externas, conforme a necessidade. O tratamento é indolor e não é necessária a abstinência sexual antes e após a aplicação. O processo demora cerca de 40 minutos. Ao todo são necessárias quatro sessões. Os efeitos são percebidos após a primeira aplicação. O tratamento tem efeito por 12 meses.

Crédito: PEXELS