Homeopatia na gestação

Dia 21 de novembro é comemorado o Dia Nacional da Homeopatia.

Trata-se de método terapêutico baseado no princípio da cura pelo semelhante (Similia Simibilus Curentur), preconizado por Hipócrates ( 460 AC) e desenvolvido por Samuel Hahnemann no final do século XVIII. A cura pelo semelhante significa que uma substância capaz de produzir determinada alteração ( sintoma) em um indivíduo são, tem a propriedade de curar esta alteração em uma condição de doença, quando dada em doses atenuadas.

A Homeopatia foi reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina em 1980 resolução(1000/80)e pelo Conselho de Especialidades Médicas da Associação Médica Brasileira em 1990. Desde esta data, a AMHB( Associação Médica Homeopática Brasileira) realiza provas para o Título de Especialistas em Homeopatia em convênio com a AMB- CFM.

Na terapêutica Homeopática, utilizam- se substâncias do reino vegetal, animal e mineral, sendo os medicamentos preparados por farmacotécnica homeopática apropriada. Sua abrangência vai desde a infância até a velhice, podendo ser tratados desde os transtornos funcionais leves, até doenças mais estruturadas .

A abordagem do paciente é completa do ponto de vista mental, geral e local, ou seja, antes da prescrição médica todas as queixas do paciente são levadas em consideração, não existindo, para os homeopatas, “queixas vagas “.

Conversamos com o Dr.Roberto Debski, médico especialista em Medicina Integrativa, sobre o uso do tratamento homeopático durante a gestação:

1) Sempre escutamos falar que as grávidas não podem tomar nenhum medicamento ao longo da gestação, isso também serve para a homeopatia?

A ideia que gestantes não podem tomar nenhum medicamento durante toda a gestação é errônea.

Quanto a gestante tem uma patologia que necessita de tratamento medicamentoso, o médico assistente avaliará caso a caso e decidirá se e qual o medicamento é indicado e possível de ser tomado sem que ocorram efeitos adversos ou prejudiciais ao feto.

Normalmente nos três primeiros meses, quando os órgãos do feto estão em formação, há a necessidade de um cuidado maior com a administração de medicamentos à mãe.

Após esse período o risco diminui, mas ainda se faz necessária a avaliação médica e a mãe deve continuar evitando a automedicação.

A homeopatia em geral por sua baixa dosagem de princípios ativos normalmente não oferece riscos à gestante nem ao feto, mas mesmo assim deve ser prescrita após avaliação por um médico homeopata.

2) Os remédios homeopáticos que vendem em farmácia (como para prisão de ventre ou constipação nasal), caso uma grávida tome, quais são os danos que podem causar?

Os medicamentos homeopáticos de venda livre em farmácia muitas vezes contém maior quantidade de princípios ativo e devem ser evitados pelas pacientes gestantes, a não ser que sejam prescritos pelo médico homeopata.

Também não são individualizados caso a caso, como devem ser os medicamentos indicados para tratamento homeopático.

Por vezes vários pacientes que vem com sintomas semelhantes devem receber medicamentos diferentes, pois a totalidade sintomática do paciente avaliada por seu médico pode indicar diversos medicamentos diversos para o mesmo quadro clínico.

3) Em contrapartida, há correntes que defendem uma série de medicamentos homeopáticos que podem ajudar a evitar problemas de hipertensão arterial, anemia e até enjoos na gravidez, poderia citar alguns destes medicamentos e sua comprovada eficácia? Ou orientar que isso é falso.

A homeopatia ensina que devemos ter uma abordagem integral do paciente, e não somente uma visão que foque em tratar doenças.

Normalmente são prescritos tratamentos que levam em conta a totalidade biopsíquica, além dos sintomas e da doença.

Por outro lado algumas correntes na homeopatia tomam em conta somente os sintomas e a doença e podem ser prescritos medicamentos que atuem nas patologias, o que também traz ótimos resultados.

Em ambas abordagens, o médico homeopata será o indicado para avaliar a paciente e prescrever os medicamentos e o tratamento indicado para cada caso.

4) Algum medicamento homeopático ou sua, substância, pode fazer mal Às grávidas,ou até mesmo gerar aborto espontâneo?

Um medicamento homeopático que é altamente diluído a princípio não provoca efeitos adversos por sua utilização, mas como a gestação é uma fase que requer cuidados na administração de medicamentos, a orientação de seu médico é fundamental para qualquer tratamento que deva ser iniciado ou mantido.

Não utilize na gestação medicamentos orientado por outras pessoas que não seu médico assistente.

5) E quais seriam os benefícios da homeopatia na gravidez . O que quero saber aqui é se há estudos clínicos ou evidência clínica de remédios homeopatas eficazes já usados em grávidas..

Os medicamentos homeopáticos têm indicações semelhantes em gestantes e em não gestantes, não há medicamentos com indicações diferentes para gestantes e não gestantes, já que são prescritos de acordo com a totalidade do paciente.

Sendo assim estudos sobre medicamentos homeopáticos podem ser levados em consideração para pessoas de todas idades, e também independentes da condição de gestante ou não.

Há diversos estudos e trabalhos científicos validando a terapêutica homeopática, além do testemunho de milhões de pacientes atendidos em todo o mundo com esta especialidade médica que embora recente, já tem uma história de mais de 200 anos.
Este é o link de um artigo demonstrando a efetividade da homeopatia:
http://aph.org.br/revista/index.php/aph/article/view/61
 

Dr. Roberto Debski

Médico – CRM / SP 58806

Especialista em Homeopatia e Acupuntura pela Associação Médica Brasileira

Psicólogo – CRP/06 84803

Fonte sobre homeopatia: CREMESP – Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo

Fotos: Pixabay