Organização Mundial da Saúde comemora 40 anos da erradicação da varíola

A Organização Mundial da Saúde (OMS) celebra neste fim de ano, 40 anos da erradicação da varíola. No dia 9 de dezembro de 1979 houve a confirmação, oficializada na 33º Assembléia Mundial de Saúde, em maio de 1980, que o mundo estava livre da varíola. O último caso considerado natural da doença foi registrado em 1977 na Somália.

Para comemorar foi colocada uma placa de bronze na mesma sala onde houve o anuncio há 40 anos, lembrando da importância da colaboração de todas as nações no combate as doenças.

O diretor geral de OMS Tedros Adhanom destacou que “até hoje, é a única doença humana já erradicada, um exemplo do que podemos alcançar quando todas as nações trabalham em conjunto. Com esta placa, reconhecemos os heróis que se uniram para combatê-la e para manter as futuras gerações a salvo”.

A varíola teria surgido há pelo menos 10 mil anos atrás nos primeiros agrupamentos agrícolas do nordeste da África. No início do século XV a doença tinha uma taxa de mortalidade de cerca de 90% esse índice foi caindo ao longo dos anos e chegou a 30% no século XVIII, mas foi responsável por mais de 300 milhões de morte somente no século XX.

A cura da doença veio das observações do médico inglês Edward Jenner em 1796 que notou que as mulheres que ordenhavam as vacas e foram contaminadas com o vírus da varíola bovina (benigna) não eram atacadas pela varíola (humana) mostrando que o vírus inoculado protegia contra o tipo mais perigoso da doença que causava morte. Nascia assim a primeira vacina de vírus vivo.

O sucesso no tratamento contra varíola foi o ponta pé inicial para o desenvolvimento de outras vacinas importantes contra doenças que mataram milhares de pessoas como poliomelite e ebola.

Em 2020 a cidade de Nova Iorque receberá a próxima Assembléia Mundial da Saúde que terá, entre outras atrações, a inauguração de uma exposição sobre a erradicação da varíola no mundo.


Felipe Nascimento Cruz

Paulistano, com formação em jornalismo e publicidade. Um ex jogador de futebol que acredita que a comunicação pode mudar o mundo.