Elisabeth Costello discute os direitos dos animais no TUSP

Peça baseada no livro homônimo de J. M. Coetzee, ganhador do Nobel de Literatura em 2003, utiliza reflexões filosóficas para falar dos animais

O Teatro da USP (TUSP) recebe a peça Elisabeth Costello, baseada no livro homônimo de John Maxwell Coetzee, nobel de Literatura em 2003, em um projeto idealizado pela atriz Lavínia Pannunzio. O espetáculo fica em cartaz em curta temporada de 22 de janeiro a 16 de fevereiro,  de quarta a sábado, às 21 horas, e domingo, às 20 horas.

Com dramaturgia e direção de Leonardo Ventura, Elisabeth Costello apresenta três planos temporais, presentes na obra original, e resultado do trabalho da atriz na construção das diferentes narrativas e facetas da personagem.

O livro de Coetzee é dividido em oito “lições” de escrita densa, com múltiplas camadas. Para se chegar à dramaturgia, Ventura suprimiu toda a matéria de reflexão literária, e deixou emergir ações, circunstâncias e o ponto prismático da personagem. “Observamos que a questão do ´Mal` era recorrente na narrativa, notadamente nas lições sobre a temática dos animais, do holocausto e do cristianismo: o mal como consequência dos desvios de processos civilizatórios”, explica.

Sinopse

Para atravessar um enigmático portão, uma escritora deve apresentar a uma banca de juízes uma declaração de crença. Ela discorre sobre temas como os direitos dos animais, a filosofia, a poesia, as humanidades, a antiguidade clássica e a natureza. 

Sobre Coetzee

John Maxwell Coetzee (J. M. Coetzee) é considerado um dos principais escritores de língua inglesa. Sul-africano nascido em 1940, Coetzee recebeu o Nobel de literatura em 2003, dois Booker Prize, entre outros importantes prêmios. No Brasil, foram publicados vinte livros do autor publicados no Brasil, embora a bibliografia de Coetzee seja bem mais vasta.

Ficha técnica

Autor: J.M. Coetzee. Direção e dramaturgia: Leonardo Ventura. Idealização e atuação: Lavínia Pannunzio. Cenário: Chris Aizner. Figurino: Cassio Brasil. Desenho de luz: Aline Santini. Trilha original composta e engenharia de Som: L.P. Daniel. Assessoria de imprensa: Ofício das LetrasFotos: João Maria. Móveis cedidos ao espetáculo: Julia Krantz. Designer gráfico: Zootz Comunicação. Produção: Corpo Rastreado.

Serviço

Elisabeth Costello 

Onde Centro Universitário Maria Antonia – Sala multiuso

Rua Maria Antônia, 258 – Vila Buarque – São Paulo, SP (próximo às estações Higienópolis e Santa Cecília do metrô)

Quando | De 22 de janeiro a 16 de de fevereiro | quarta a sábado, 21 horas, e domingo às 20 horas

Duração | 70 minutos

Classificação indicativa | 16 anos

Quanto | R$ 30 e R$ 15 (venda on-line pelo Sympla https://bit.ly/36S6KqP e na bilheteria do teatro 1 hora antes das apresentações)

Lotação | 72 lugares

Informações | (11) 3123-5222

Foto: João Maria


Sandra Lima

Jornalista há 28 anos, atua com comunicação corporativa, e escreve sobre cultura, saúde, meio-ambiente, educação, ciência e tecnologia e responsabilidade social. Mestre em cinema e educação, adora conversar, ir ao cinema, escutar música e admirar a natureza. Sugestões de pauta - pauta.rede4news@gmail.com