Ministério da Saúde descarta 10, mas monitora outros 16 casos suspeitos de coronavírus

Ministro Luiz Henrique Mendetta – Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Ministério da Saúde atualizou até o último domingo (2), para 16 os casos suspeitos de contaminação pelo coronavírus aqui no Brasil. São Paulo com 8 casos, Rio Grande do Sul com 4, Santa Catarina 2, Ceará e Paraná cada um com 1 caso suspeito, estão em alerta.

A pasta destacou que apesar de não haver confirmação da doença, está monitorando a situação e fez um alerta sobre possíveis viagens para a China. “Recomendamos que as empresas no Brasil tenham essa preocupação em não realizar reuniões com pessoas que vêm da China ou enviar alguém para lá. A orientação que o Ministério da Saúde dá é de substituir reuniões comercias feitas pessoalmente por reuniões online,” destacou o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gobbardo.

Neste fim de semana a Organização Mundial da Saúde (OMS) confirmou a primeira morte, por coronavírus, fora da China. Foi em Filipinas no sudeste da Ásia. A vítima foi um homem de 44 anos que vinha de Wuhan na província de Hubei na China, epicentro do surto. Os últimos dados mostram que o novo vírus infectou mais de 14 mil pessoas em todo o mundo e matou 304 na China.

O novo coronavírus chamado de nCoV-2019 pode causar doenças respiratória semelhante ao resfriado comum. Ainda não foi confirmada a origem do novo vírus, mas alguns estudos apontam para uma possível transmissão através da carne de cobra ou morcego, iguarias que são consumidas em alguns centros comercias da China.

Quais são os sintomas do coronavírus?

*Febre

*Tosse

*Falta de ar

* dificuldade para respirar

* Coriza

* Dor de garganta

A transmissão pode acontecer pelo ar, através de um espirro, tosse, gotículas de saliva, catarro ou contato muito próximo com a pessoa infectada. Se comparada com a Síndrome Respiratória Aguda Grave, em inglês (SARS) outro vírus contagioso que matou 916 pessoas entre 2002 e 2003 e contaminou mais de 8 mil pessoas, o coronavírus tem uma taxa de mortalidade menor. Pouco mais de 2% contra os mais de 10% do SARS.

Os chineses estão usando mascaras para se proteger – foto: Olhar Digital

O diretor geral da OMS Tedros Adhanom Ghebreyesus classificou os casos de coronavírus como “emergência de saúde pública de interesse internacional”. Essa classificação só foi usada em casos raros como a Gripe suína H1N1, o Ebola, Zika Vírus e poliomielite. “Devemos lembrar que são pessoas, não número. Mais importante do que a declaração de uma emergência de saúde pública são as recomendações do comitê para impedir a propagação do vírus, falou em coletiva de imprensa na semana passado o diretor Ghebreyesus .

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) recomenda caso o paciente tenha viajado recentemente para a China ou teve algum contato suspeito e passe a apresentar febre, tosse ou alguma dificuldade respiratória no período de 14 dias exposto, que procure uma unidade de saúde mais próxima.                                                                                                                     


Felipe Nascimento Cruz

Paulistano, com formação em jornalismo e publicidade. Um ex jogador de futebol que acredita que a comunicação pode mudar o mundo.