Mês da Mulher

Dia 08 de março é o dia internacional dedicado para as mulheres.

Mulher é sinônimo de vida, força, delicadeza, alegria, sentimental, resiliência, amor e de inconstância de sentimentos, chora e sorrir ao mesmo tempo, ama e odeia em segundos e o responsável por estas explosões de sentimentos são os hormônios.

Ouvidos “até eles” são influenciados pelos hormônios.

O bom funcionamento dos ouvidos é essencial para a qualidade de vida. E, segunda a especialista Dra. Tanit Ganz Sanchez, que é a pioneira na realização de pesquisas sobre zumbido no Brasil, assim como qualquer outro órgão do corpo, os ouvidos precisam de atenção e seus sinais também, principalmente pelas mulheres em suas diversas fases da vida. Os sintomas de zumbido, tontura, perda auditiva e hipersensibilidade podem ter relação (aparecer ou piorar) com fases de mudanças hormonais: TPM, gravidez e menopausa e por isso pode afetar mulheres de qualquer idade.

As mudanças hormonais tem o poder de alterar a bioquímica do ouvido interno ou das vias auditivas em algumas mulheres, mas nem todas se queixam. Daquelas que se queixam, nem todas sabem ou relacionam seus sintomas às mudanças hormonais.

As meninas que ainda não menstruam (portanto, ainda não estão tão sujeitas as alterações hormonais), mesmo assim podem apresentar ouvidos mais sensíveis do que os meninos, segundo pesquisa de doutorado realizada no interior do Rio Grande do Sul, em 2007,  com 506 crianças de 5 a 12 anos estudadas, 37,1% apresentavam Zumbido no ouvido  e 9% tinham hipersensibilidade sonora, mas o sexo feminino foi predominante em ambos. As crianças não são pequenos adultos. Suas vias auditivas e conexões cerebrais estão em processo de maturação, por isso são mais influenciadas por fatores externos ou internos. Ser de sexo feminino foi um fator de risco para ter zumbido e hipersensibilidade, embora a causa não esteja esclarecida nessa faixa etária.

Em paralelo com a questão hormonal, o estresse que é uma causa comum de atrapalhar o ouvido e causar todos esses sintomas nas mulheres, que  frequentemente associam os sintomas de ouvido com o estresse (porque se sentem sobrecarregadas e fazem essa relação intuitivamente), e embora isso seja uma verdade, nem sempre elas relacionam os mesmos sintomas às suas alterações hormonais.

Algumas  dicas de cuidado que podem reduzir tais sintomas:

  • Evite automedicação: certos remédios podem agredir os ouvidos.  
  • Alivie seu estresse com atividades relaxantes eficazes: yoga, meditação, Tai-Chi-Chuan, Chi-Cong etc. 
  • Incorpore mais momentos de prazer na sua vida para restaurar a função dos órgãos.
  • Diminua o tempo de celular direto no ouvido, pois a radiação eletromagnética pode ser prejudicial.
  • Visite seu médico regularmente para exames preventivos gerais e auditivos.

Sobre a Dra. Tanit Ganz Sanchez:

•          Médica Otorrinolaringologista formada pela Universidade de São Paulo;

•          Profa. Livre Docente e Associada da Otorrinolaringologia da Universidade de São Paulo

•          Orientadora de pós-graduação da Fonoaudiologia da Universidade de São Paulo;

•       Pesquisadora dos incômodos dos ouvidos há mais de 25 anos, reconhecida internacionalmente como referência para assuntos relacionados sobre a “Quadrilha do Ouvido;    

•          Fundadora e Diretora do Instituto Ganz Sanchez que há mais de 10 anos que é direcionado exclusivamente ao estudo e atendimento de pessoas com Zumbido, Misofonia e Hiperacusia;

•          Criadora e coordenadora do: – GANZ: Grupo de Apoio Nacional a Pessoas com Zumbido;

•          Idealizadora do  Novembro Laranja (Campanha Nacional de Alerta ao Zumbido); –

•          Idealizadora da TV Zumbido (www.tvzumbido.com.br);

•          Blitz do Ouvido (no Programa Bem Estar Global)

•          Membro da ABORL-CCF;

•          Membro do Corpo Editorial das revistas científicas: Clinics, International    Archives of Otorhinolaryngology e Brazilian Journal of Otorhinolaryngology;

www.institutoganzsanchez.com.br