Ministério da Saúde confirma 19 casos do novo coronavírus no Brasil

Foto: Ricardo Moraes/ Reuters

O Ministério da Saúde já confirmou 19 casos do novo coronavírus no Brasil e está monitorando mais de 600 casos suspeito da doença em todo o território nacional. Desde que um homem de 61 anos veio da Itália com sintomas da doença, e foi confirmado no fim de fevereiro como o primeiro do país, os casos tem aumentado e preocupado a população.

A maioria dos casos confirmados no Brasil, foram de viajantes infectados no exterior, apenas 3 foram transmitidos aqui no país. O mais preocupante é caso de uma mulher de 52 anos de idade do Distrito Federal que está internada em estado grave na UTI do Hospital Regional da Asa Norte.

São Paulo é o estado com maior número de infectados, já sãos 13 e o Ministério da Saúde monitora 184 casos suspeitos. O governador João Dória disse via Twitter que “não há motivo para pânico (…)” e que pelo menos por enquanto as rotinas de escolas e empresas não precisam ser alteradas.

São mais de 100 mil casos do novo coronavírus em todo o mundo, a maioria registrados na China, são cerca de 80 mil. A Coréia do Sul com mais de 6 mil, Itália e Iran com mais de 3 mil casos cada um, são os países com maior número de infectados.

O diretor geral da OMS (Organização Mundial da Saúde) destacou, com preocupação, a possível de falta de suprimento médicos por conta do surto, já que a China é um dos principais produtores desse tipo de material. “A China é uma grande produtora de princípios ativos e de produtos intermediários que são usados para produzir remédios em outros países. A OMS concentra-se nos remédios essências para atenção básica e emergencial”

Foto: Reuters

O que é o coronavírus?

O coronavírus faz parte de uma família de vírus conhecidos desde 1960 que causam infecções respiratórias. O novo coronavírus (COVID-19) faz parte dessa família e foi descoberto em dezembro de 2019 na China. O tempo de incubação, período para aparecer os sintomas, é de 2 a 14 dias.

Sintomas

Os sintomas do coronavírus são principalmente respiratórios, muita parecido com uma gripe comum. Febre, tosse e dificuldade para respirar.

Na última sexta feira (6) um funcionário do governo chinês afirmou que o país esta avançando para produzir uma vacina contra a doença. “De acordo com as nossas estimativas, esperamos que em abril algumas das vacinas entrem em pesquisa clínica, ou seja úteis em situações de emergência”, afirmou


Felipe Nascimento Cruz

Paulistano, com formação em jornalismo e publicidade. Um ex jogador de futebol que acredita que a comunicação pode mudar o mundo.