No Amazonas consumo de gás natural bate recorde

O consumo de gás natural aumentou cerca de 0,7% no estado do Amazonas em janeiro de 2020, um índice bem maior em relação aos anos anteriores, atingindo um volume comercializado médio de 5.292.355 m³/dia, segundo dados da Companhia de Gás do Amazonas (Cigás)

Em seis municípios do estado o gás natural se localiza em 13 usinas termoelétricas. Segundo a Eletrobras Amazonas Geração e Transmissão de Energia, o ar é o principal elemento atingido pelos efeitos da mudança da matriz energética, uma redução mensal de 70 milhões de litros de óleo combustível e diesel queimados, que antes eram utilizados no abastecimento dessas usinas.

No dia 5 de Janeiro de 2020, se iniciou a operação comercial para gerar energia com gás natural no município de Coari (a 363 quilômetros a oeste de Manaus). Segundo o site do Governo do Estado, com a mudança o município deixou de receber e queimar aproximadamente 2.500 toneladas de combustível líquido por mês, dando espaço a usina termoelétrica que utiliza gás natural via gasoduto.

Coari tornou-se a principal beneficiada pelo gás natural no interior do Amazonas. Outros municípios que também recebem usinas abastecidas pelo gás natural são:  Anori, Anamã, Caapiranga e Codajás, além de Manaus.

Para Ildo Luis Sauer, diretor de Gás Natural e Energia na Universidade de São Paulo “O Gás Natural substitui o óleo combustível industrial com vantagens ambientais. Gera níveis menores de emissão de compostos de enxofre, gás carbônico e particulados e alcança maior nível de desempenho energético”.