Artistas niteroienses reverenciam herança portuguesa em suas obras

A cidade de Niterói carrega importante herança portuguesa originária do seu período de colonização. Nesse cenário urbano figuram emblemáticos patrimônios, tais como fortalezas, bairros e edificações. Uma dessas belezas arquitetônicas, o Solar do Jambeiro, tem sido fonte de inspiração de vários artistas niteroienses, que buscam em seus trabalhos fazer um recorte artístico-histórico dessa construção.

Ao se “debruçar” nesse ponto focal, três artistas da cidade, Leila B, Lúcia Lyra e Renata Barreto trouxeram para os seus projetos artísticos a riqueza dos azulejos que emolduram a fachada principal e lateral do sobrado, assim como suas portas e janelas. Considerados um dos mais importantes conjuntos de azulejos do século XIX no Brasil, eles estão presentes nas temáticas desenvolvidas pelo trio.

As cerâmicas esmaltadas idealizadas por Leila B exibem uma estampilha dessa rica azulejaria portuguesa, com suas padronagens exclusivas. Enquanto Lúcia Lyra buscou uma representação mais lúdica, baseada em tramas e texturas em um perfeito processo de desconstrução.

Renata Barreto se inspirou no belo conjunto arquitetônico do Jambeiro para traduzi-lo em sua técnica de maxi-bordados em telas de aço, batizados por ela de “Azulejaria em Bordados”. As duas peças, com 4m de altura cada que misturam elementos distintos, destacam os tons de azul da azulejaria do casarão português localizado no bairro do Ingá, em Niterói.

Ao se “debruçar” sobre essa colonização portuguesa do passado, Lúcia Lyra procurou descolar uma abstração dessa realidade. Em sua azulejaria que transmite uma paisagem lúdica em tramas e texturas, ela busca esse prefeito processo de desconstrução. Nesse sentido, a expressividade caligráfica e gestual da artista pode ser considerada uma verdadeira poesia da arte, expressa em tinta acrílica sobre tela.

Fotos: Toni Coutinho TONI COUTINHO