Governo de São Paulo recomenda uso de máscara em todo o estado

O governador de São Paulo, João Dória (PSDB) anunciou na última quinta feira (23) a recomendação que toda a população do estado use máscara quando for necessário sair de casa. O prefeito Bruno Covas (PSDB) já havia adotado esta medida desde dia 16 para a capital paulista.

O decreto faz parte de uma série de medidas adotadas para tentar conter o avanço do novo coronavírus e segue as orientações da Organização Mundial da Saúde e do Ministério da Saúde. As pessoas poderão utilizar mascaras caseiras feitas com pano, mas isso não afasta a necessidade do distanciamento social.

Em entrevista publicada no site oficial do governo, Dória falou sobre a importância de seguir as recomendações. “É importante que essa recomendação seja seguida pelas pessoas que, em caso de extrema necessidade precisem sair de suas casas. Isso não retira a recordação de ficar em casa, para salvar vidas. Mas se você tiver que ir a supermercado, a uma farmácia ou algum estabelecimento essencial, vá de máscara”.

O prefeito da capital, Bruno Covas (PSDB) também fez a mesma recomendação publicada no Diário Oficial no dia 16 de abril. “A meta é proteger e evitar que, involuntariamente, pessoas assintomáticas, ou seja, que estão infectadas, mas não têm nenhuma demonstração, possam transmitir o vírus. Usar máscara caseira também é uma atitude cidadã de respeito ao próximo”, disse Covas.

A médica infectologista, Rosana Richtmann do Instituto Emílio Ribas em São Paulo, lembra a importância do uso da proteção caseira, mas alerta que profissionais da área da saúde não devem usar este tipo de máscara.

“Do ponto de vista de hospitais e serviços de saúde, nós não podemos e não devemos usar máscaras caseiras porque elas não estão comprovadas em termos de risco de eu adquirir o vírus. Agora sou a favor do uso de máscara caseira no sentido da gente não disseminar e não contaminar as outras pessoas (…) eventualmente se você tiver assintomático ou no inicio de um quadro que pode está acontecendo (…)”.

Avenida Paulista em São Paulo – foto: Guilherme Gandolfi

Assintomático

Na medicina, é considerada assintomática quando o paciente não exibe os sintomas da doença ou infecção. Os primeiros estudos feitos em Wuhan na China, epicentro do vírus, mostraram que os assintomáticos representavam cerca de 80% dos casos da COVID-19.   

Outro estudo feito por uma universidade na Alemanha publicado em março deste ano mostrou que quando os primeiros sintomas começam a aparecer no corpo a carga virial já está diminuindo, isso indica que mesmo antes de apresentar os sintomas o paciente pode estar transmitindo o vírus sem saber. Como ainda não existe um estudo conclusivo, a OMS recomenda o isolamento social total para evitar que mais pessoas sejam transmissores da doença.

O Brasil tem mais de 58 mil casos confirmados do novo coronavírus, com 4.016 mortes, todos os estados registram casos. São Paulo concentra o maior número de notificações, são mais 20 mil e 1.667 mortes (dados do Ministério da Saúde, 26 de abril).


Felipe Nascimento Cruz

Paulistano, com formação em jornalismo e publicidade. Um ex jogador de futebol que acredita que a comunicação pode mudar o mundo.