Explosão em Beirute, acidental ou intencional?

Atualização/Explosão Beirute

Nesta última terça-feira(4), uma explosão na região portuária de Beirute deixou cerca de 100 mortos e 4.000 feridos, há também pelo menos 100 pessoas desaparecidas. Suspeita-se que o ocorrido tenha sido resultado do armazenamento incorreto de nitrato de amônio, um tipo de fertilizante, que pode em união com outros fatores causar enormes explosões.

O presidente Michel Aoun, disse que “é inaceitável que 2.750 toneladas de nitrato de amônio tenham sido armazenadas por seis anos sem a segurança necessária.”

No entanto, apesar da existência em grande quantidade de Nitrato de Amônio, apenas a substância não causaria a explosão, teria que haver outros fatores, como o aquecimento intenso, por volta de 290 graus, para que essa substância se tornasse explosiva.

O que a população questiona agora, é se houve uma causa acidental ou intencional por trás dessas explosões em Beirute.

Especialmente porque o Líbano vem passando por uma situação delicada nos últimos meses. Os Bancos negaram aos credores seu dinheiro, a sua moeda desvalorizou, a eletricidade e a água tem sido ainda mais restringidas, e até mesmo alimentos básicos estão com preços cerca de cinco vezes maiores que o habitual.

Há conflitos políticos com interesses divergentes, e atentados sempre foram comuns nessa região.

Por essas razões, um comitê de investigação ficará encarregado de dizer quem foi o responsável em até cinco dias.

Outro ponto importante definido em reunião do Conselho, foi sobre o tráfego de importação que agora será roteado para o porto de Trípoli, ao norte do país.

E sobretudo que as famílias das vítimas serão indenizadas.

O Primeiro MInistro libanês, Hassan Diab, declarou luto oficial por três dias.

A população, apesar da grande tragédia tem contribuído bastante, e amparado as vítimas.

Em redes sociais, diversos hotéis estão oferecendo quartos para aqueles que tiveram suas casas atingidas, enfermeiros e diversos profissionais estão fazendo trabalho voluntário, as pessoas estão doando sangue, abrindo suas casas, e auxiliando com materiais.

Mas não é nenhuma surpresa, uma atitude esperada de um povo forte, que já reconstruiu sua casa e sua vida inúmeras vezes.

Seguimos com as atualizações para a Rede4News.


Chadia Kobeissi

Jornalista formada no Líbano, em Beirute, com diploma revalidado pela USP e especialização em Civilização Árabe-Islâmica. Trabalhou como Correspondente Internacional para a Rfi, "Rádio França Internacional", que transmite também para a CBN do Brasil. Fundadora da Gazeta de Beirute, e autora do livro Estado Anti-Islâmico. Teve experiências incríveis em seus 8 anos de Oriente Médio, entendendo e desmistificando para o Ocidente, este outro lado do mundo.