Segundo estudo, idade é o maior indicador de risco de morte por COVID-19

Um estudo publicado no início desta semana pela revista cientifica Nature, mostrou que o novo coronavírus é mais mortal para pessoas com mais idade e do sexo masculino. Para cada mil pessoas infectadas com mais de 70 anos de idade, 116 morrerão da doença e homens tem o dobro de chance de morte.

Que a Covid-19 é mais perigosa para idosos, isso já era esperado e amplamente divulgado, mas esse é o primeiro estudo com números mais detalhados sobre a mortalidade da doença.

Os dados foram coletados na Espanha, Inglaterra, Itália e em Genebra na Suíça e aponta que a idade do paciente é o principal fator de risco. O indicador é feito pela taxa de mortalidade por infecção que chegou a 11% na Inglaterra e 7.2% na Itália em pessoas com mais de 75 anos.

Na Espanha o estudo feito em abril deste ano com mais de 60 mil pessoas testou quem tinha ou não anticorpos da doença, em cima do resulto a taxa de mortalidade em geral da população era de 0,8 e continuou próxima a zero na população com menos de 50 anos. Para homens com mais de 80 anos a taxa chegou a 11,6% e 4,6 para mulheres na mesma faixa estaria.

Segundo a epidemiologista Beatriz Perez Gomez o resultado da pesquisa revela que homens tem maior probabilidade de morte em decorrência da infecção do que as mulheres “Os homens enfrentam o dobro de risco das mulheres”.

Umas das explicações para essa maior mortalidade do sexo masculino pode estar sistema de defesa do corpo, segundo a demógrafa Jéssica Metcalf da Universidade de Princeton;

“O sistema imunológico feminino pode ter uma vantagem ao detectar patógenos um pouco mais cedo”

O estudo também levou em consideração o fator de diferencias estrutural entre os países que participaram da pesquisa, os pesquisadores observaram que houve uma diferencia entre taxa de mortalidade em pessoas a cima dos 65 anos, enquanto em Genebra chegou a 5,6%, na Espanha foi de 7,2% e na Inglaterra 11,6%.

Países com um auto número de pessoas com doenças como diabetes, obesidade ou doenças cardíacas e não possuem um sistema de saúde capaz de suprir as necessidades da população, tende a ter números piores.  

Embora os pesquisadores tenham focado o estudo na causa da morte, há um consenso entre os pesquisadores que a COVID-19 pode causar outros problemas ao longo do tempo, mas ainda requer mais estudos para uma analise mais detalhada.


Felipe Nascimento Cruz

Paulistano, com formação em jornalismo e publicidade. Um ex jogador de futebol que acredita que a comunicação pode mudar o mundo.